Foto: DR

Duarte Carolino, designer do Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Tomar, foi o vencedor da 7ª edição do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, na categoria Ilustração. O designer, que não consegue passar um dia sem desenhar, viu o seu trabalho “Leituras e Papas de Aveia” ser reconhecido pelo júri, que destacou “a qualidade lúdica do trabalho apresentado, com uma narrativa visual pensada de forma muito consistente para o objeto-livro”. Duarte já tinha feito alguns trabalhos de ilustração na Câmara Municipal de Tomar, como uma banda desenhada e alguns trabalhos para o Dia da Criança, sendo apaixonado pela tipografia e ilustração.

Duarte Reis Carolino formou-se em Artes Plásticas e é natural de Sintra. Em comunicado da organização, pode ler-se que sempre quis participar no Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, algo que nunca fez por “falta de tempo”.

Este ano, agarrou a oportunidade e mereceu o contentamento da filha, Luísa, de 8 anos. “Foi-me dando a sua opinião ao longo do processo, que durou cerca de um mês e meio. Gosto de a envolver e fazer sentir que as suas opiniões são importantes. Ficou muito contente por o pai ter ganho”, confessa.

Para o designer desenhar “é terapêutico, passou a ser uma necessidade e um prazer”, talvez por isso não consiga passar um dia sem ilustrar.

A participação neste Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce deveu-se muito à composição do júri. “Gostei muito da edição do ano anterior e decidi ver quem era o júri. Para minha surpresa, vi que o André Letria e o Jorge Silva, profissionais que admiro, faziam parte do painel. Depois, decidi arriscar e concorri”, explica.

Por seu turno, o júri composto por André Letria, Jorge Nesbitt, Jorge Silva, Paula Tavares e Sara Miranda, acolheu o nome vencedor de forma unânime, referindo que “o conjunto de ilustrações que o Duarte Carolino trouxe a concurso sintetiza uma gramática gráfica madura, que conjuga de forma original referências da linguagem contemporânea da ilustração portuguesa”.

Destaca ainda “a qualidade lúdica do trabalho apresentado, com uma narrativa visual pensada de forma muito consistente para o objeto-livro”.

Duarte Carolino diz ter procurado “brincar com as texturas e a bidimensionalidade”, dando vida a “Leituras e Papas de Aveia” com a criação de monstros baseados nas figuras populares portuguesas, caso das figuras produzidas pelas ceramistas Rosa e Júlia Ramalho.

Refira-se que o Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, no valor de 50 000 euros, nasceu em 2014, com o objetivo de incentivar a criatividade literária e artística, premiando obras originais que ajudem a promover o gosto dos mais novos pela leitura.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.