Foto: Shutterstock

A Câmara Municipal de Tomar vai acolher um Balcão da Inclusão para atendimento, prestação de informação e mediação especializados relativas a pessoas com deficiência e/ou incapacidade, numa parceria com o Instituto Nacional para a Reabilitação, IP.  Na região do Médio Tejo já existem três autarquias com esta valência: Alcanena, Entroncamento e Vila de Rei.

O Balcão de Inclusão irá ser criado nos serviços da autarquia, tendo por objetivo o atendimento, prestação de informação e mediação especializados relativas a pessoas com deficiência e/ou incapacidade, bem como apoio às suas famílias, e a organizações e outros organismos com intervenção na área da deficiência.

A minuta do protocolo de cooperação entre as entidades foi aprovada na reunião pública de segunda-feira, dia 3 de fevereiro.

Este balcão “disponibiliza informação por telefone, por escrito, por vídeo conferência para pessoas surdas e presencialmente sobre os direitos e benefícios de acordo com a legislação em vigor, sobre os recursos existentes e também procede ao encaminhamento e mediação/sensibilização junto dos diferentes serviços e organismos que no âmbito da sua missão têm competências nas matérias referidas para a resolução das situações apresentadas”, lê-se no portal do INR.

Entre as áreas de intervenção e informação do Balcão da Inclusão constam questões relativas à acessibilidade, atendimento prioritário, Atestado Médico de Incapacidade Multiuso, benefícios fiscais; cultura, desporto e lazer; saúde; educação; emprego e formação profissional; estacionamento; habitação; intervenção Precoce; Modelo de Apoio à Vida Independente; não discriminação; parentalidade; prestação Social para a Inclusão; produtos de apoio/ajudas técnicas; proteção social.

Na região do Médio Tejo, segundo listagem disponibilizada pelo INR no seu portal online, o Balcão de Inclusão já existe nos municípios de Alcanena, Entroncamento e Vila de Rei, com respetivos horários de atendimento.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.