Foto arquivo: mediotejo.net

O município de Tomar vai apoiar a realização do festival Bons Sons, que decorre entre 12 e 15 de agosto na aldeia de Cem Soldos, com 90 mil euros, aumentando o apoio em 10 mil euros face aos anos transatos. A proposta foi aprovada por unanimidade, tendo os autarcas reconhecido o evento como “diferenciador”, mas a vereação do PSD alertou para a necessidade de maior rigor e fundamentação da proposta de apoio.

A breve apresentação da proposta de apoio foi feita pela vereadora Filipa Fernandes (PS), que referiu que como é “apanágio”, o festival “não entra nas atividades do apoio ao associativismo”, tendo ido a reunião camarária para deliberação a um apoio financeiro direto à iniciativa, propondo a vereadora um financiamento de 90 mil euros “para a dinamização do mesmo”.

Filipa Fernandes (PS).

Anabela Freitas (PS), presidente da autarquia, completou afirmando que este apoio não entra nas normas de apoio ao associativismo “porque nós entendemos que é um festival que projeta (…), que é algo diferenciador, e portanto é sempre objeto de uma deliberação autónoma”, acrescentando que, face aos anos anteriores, houve um aumento de dez mil euros no apoio concedido.

Começando por dizer que a sua intervenção “em nada coloca em causa aquilo que é o Bons Sons e a atividade do Sport Clube Operário de Cem Soldos”, o vereador Tiago Carrão (PSD) criticou a falta de documentação apresentada, “que para não dizer que é nenhuma, é muito escassa”, e a falta de rigor na informação apresentada, até para se perceber o porquê do aumento de dez mil euros face aos anos transatos.

Tiago Carrão (PSD).

“Trata-se de dinheiros públicos, é fundamental que estes apoios sejam fundamentados, até porque todos nós conhecemos o Bons Sons, mas se amanhã ou outro dia vem aí uma inspeção, eles não são obrigados a saber quem é o Bons Sons e porque é que a Câmara deliberou atribuir 90 mil euros ao Bons Sons, que podem nem saber o que é”, apontou Tiago Carrão.

Em resposta, a vereadora socialista Filipa Fernandes disse que o Bons Sons é um evento “que nos promove muito além fronteiras, portanto é um evento a nível nacional, dos mais referenciados por toda a população, assim como internacional ele já é uma referência. Portanto eu acho que escusa apresentações”, explicando depois que o aumento do apoio se deve aos aumentos nas aquisições a que a organização está a ser sujeita, bem como pelo facto de que uma parte da limpeza que ficava ao encargo do município passou também a ser responsabilidade da organização do festival.

Filipa Fernandes (PS).

Já Hugo Cristóvão (PS) usou ainda da palavra para relembrar que o festival Bons Sons é um dos únicos dois eventos que no seu final apresentam publicamente as contas do festival, pelo que “há que valorizar também por isso”.

O vereador Luís Francisco (PSD) aproveitou a deixa para afirmar que a Câmara devia exigir prestação de contas neste tipo de apoios a este género de eventos de forma a tentar perceber o impacto do financiamento, referindo ainda que a proposta de apoio em deliberação devia estar mais documentada, com números, documentos de prévias prestações de contas e estudos sobre o impacto do festival, de forma a não se estar a votar “às escuras”.

Luís Francisco (PSD).

A proposta de apoio foi aprovada por unanimidade com declaração de voto dos vereadores do PSD.

Descubra o cartaz do festival Bons Sons 2022:

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.