Foto: Reuters

Nos últimos meses, desde que foi declarado o estado de pandemia devido ao novo coronavírus (Sars-Cov 2) a sociedade teve que se reorganizar, a vários níveis, para dar prontas respostas aos cidadãos, especialmente no que diz respeito à saúde pública, que foi desde sempre a prioridade n.º 1. Neste conjunto de amplas respostas, a diversos níveis, destaco a que foi dada pelo Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) nas suas três unidades e também a que foi dada pelo Hospital Distrital de Santarém, que foram um espelho do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que também importa enaltecer.

Nunca é demais para mim repetir que os profissionais do sistema nacional de saúde, sem excepção, foram incansáveis –  e continuam a ser – sacrificando o tempo com as suas famílias uma vez que muitos acabaram por se distanciar das mesmas, por uma questão de protecção. São gestos e atitudes que devem ser valorizados por todos nós.

Recentemente, foi tornado público que o Centro Hospitalar do Médio Tejo realizou, neste período de Pandemia, pelo menos cerca de sete mil e quinhentos testes à Covid-19. Tal resposta nunca seria possível sem equipas devidamente preparadas e bem dirigidas, sem uma reorganização profunda e eficaz. De sublinhar também as excelentes instalações do Serviço de Patologia do CHMT que, com uma equipa formada por cerca de 70 profissionais de saúde, é um dos mais diferenciados do país, motivo pelo qual acolhe casos até de fora do distrito.

Citando as palavras de Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração do CHMT, a alguns órgãos de comunicação social, o Serviço de Patologia do CHMT esteve na linha da frente no combate à Covid-19, como resultado de um conjunto de investimentos, em equipamentos de vanguarda, que permite responder a esta situação de Pandemia. Deste modo, o Serviço tem feito colheitas não só na área territorial do Médio Tejo como também em outros territórios.

Uma palavra ainda para recordar que, tal como assumido em compromisso, assim que foi possível os Serviços de Urgência Básicas do CHMT retomaram o seu horário normal de funcionamento (24h00/24h00) desde o passado dia 25 de maio, ao contrário do que as habituais vozes dos profetas da desgraça veicularam.

Também merece, igualmente, os parabéns a resposta que se verificou no Hospital Distrital de Santarém, que alterou alguns procedimentos e procurou novas soluções. Falo, concretamente, da Urgência específica criada para atender pessoas com suspeitas de estarem contagiadas com o novo Coronavírus, a funcionar na zona de consulta externas, e também no que foi implementado no serviço de Oncologia, sem que nenhum tratamento fosse cancelado e mantendo o acompanhamento de todos os doentes assegurado.

Para terminar, reforço o meu cumprimento a todos os profissionais de saúde pelo serviço de excelência que a todos nos deixa mais tranquilos, na nova normalidade em que nos encontramos. O distrito está de parabéns pela resposta ao nível da saúde que deu à covid-19.

Hugo Costa

Deputado na Assembleia da República, Hugo Costa diz adorar o Ribatejo e o nosso país. Defende uma política de proximidade junto dos cidadãos. Tem 38 anos, é de Tomar e licenciou-se em Economia pelo ISEG. É Presidente da Assembleia Municipal de Tomar e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Tem como temas de interesse a economia, a energia, os transportes, o ambiente e os fundos comunitários.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Como vem sendo hábito os outros componentes do SNS são esquecidos. E não falo dos CSP, que tiveram claramente menos relevância, mas é pena que não seja referido o papel determinante das Unidades de Saúde Pública no combate à pandemia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.